A Fábula do Imbecil

Nem sempre parecer imbecil é ser imbecil, as vezes para se enganar os “vulgos” espertos precisamos se fazer de inocentes.

“Dizem que, numa pequena cidade, um grupo de pessoas se divertia com o “imbecil” local, um pobre coitado, de “pouca inteligência”, que vivia fazendo pequenas tarefas e pedindo esmolas.

Todos os dias, alguns homens chamavam o “estúpido” para o bar onde se encontravam e ofereciam-lhe para escolher entre duas moedas: uma grande, de menor valor, e a outra menor, valendo cinco vezes mais.

Ele levava sempre a maior e a menos valiosa, o que era uma risada para todos.

Um dia, alguém a assistir à diversão do grupo com o homem “inocente”, chamou-o de lado e perguntou-lhe se ele ainda não tinha percebido que a moeda maior valia menos e ele respondeu:

“Eu sei, eu não sou tão estúpido. Ela vale cinco vezes menos, mas no dia em que eu escolher a outra, o jogo termina e eu não vou mais ganhar moeda alguma.”

Essa história podia terminar aqui, como uma piada simples, mas várias conclusões podemos tirar desta fábula:

A primeira: quem parece um idiota, nem sempre o é.

A segunda: quem foram os verdadeiros idiotas da história?

A terceira: ambição excessiva pode acabar com a fonte de rendimento.

 

Mas a conclusão mais interessante é:

1° – Podemos ficar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião sobre nós mesmos;

2° – O que importa não é o que os outros pensam de nós, mas o que cada um pensa de si mesmo;

3° – O verdadeiro homem inteligente é aquele que parece ser um idiota na frente de um idiota que parece ser inteligente!

Autoria desconhecida.

Gosto desta história, compartilhe com seus amigos e amigas, no grupo da  família.

Siga meu canal no Instagram: www.instagram.com/Itta.Comunicador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *